Catástrofe

Entras como avalanche: frio e desastroso. Engolindo cada chama que levei anos para acender, perdoando cada pecado que levou anos para ser cometido…

…sem se importar com quem estava pela frente.

Permaneces como um vulcão no meio de uma pequena ilha. De modo belo e lento, destruindo tudo por onde passa, esgueirando-se pelas entranhas do meu vazio, pingando lava em meus olhos e fazendo-me enxergar novamente…

… sem se importar com quem estava pela frente.

Sais como o sussurro tranquilizador do vento tropical: discreto e veloz, não apagando o inferno que acendera dentro de mim…

… sem se importar com quem deixava para trás.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s