De madrugada

Tu sabes quem tu és quando acordas de madrugada?

Assustado, suado

Desesperado

Quando ainda está escuro e tu ainda estás vivo

E há sangue em teus lábios e tu não sabes por que.

E ela?

Ela sabe que tu és de madrugada?

Ela sabe onde termina tua sanidade e onde começa o verdadeiro tu?

Ela sabe que tu sais para brincar com teus demônios quando achas que ela está dormindo?

Ela sabe que tu queres me ligar de madrugada para dizer que estás com medo do escuro

E que já pensaste demais no futuro

Que a loucura é a solução?

Eu sei quem tu és quando tu acordas de madrugada

Tu és eu

Meio lúcido, meio morto

As mãos em convulsão

A alma em tormenta

Os olhos em amnésia

Por não te ter debaixo dos lençóis

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s