Implosão

“E eu tenho essa alma erma que foi me trazida das profundezas de um iceberg. Está cheia de raiva e confusão, e eu ainda alimentava as esperanças de que pudesse haver uma cura. Havia um veneno apenas, e decidi tomar o risco. Não, o veneno não era você. O veneno era eu, que temia lhe contaminar e destruir toda a pureza que exalava do seu ser. Então foi me trazida a cura. A cura estava em chamas, intocável e prestes a implodir. Tive que fechar os olhos e ver dentro do meu próprio mundo. Encontrei a pérola que faltava dentro a concha. Encontrei o Silêncio.”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s